• Dárlen Prietsch Medeiros

1º de maio: dia do trabalho ou do trabalhador? É para comemorar ou homenagear?

Essa pergunta não tem a mesma complexidade do antigo questionamento:

Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha?”


A questão acima tem sido alvo de diversos estudos tentando finalmente apontar uma conclusão, desde a teoria da evolução até os mais modernos estudos de análise genética.

Mas a nossa questão é bem mais simples de responder, basta olhar para a história, para o passado.


Tradicionalmente, todos anos no dia 1º de Maio as organizações sindicais de diversos países costumam fazer eventos para exigir mais direitos, comemorar conquistas históricas e relembrar que o trabalho é a força geradora de riqueza no sistema em que vivemos.


Ano passado, já em meio à Pandemia mundial, a data foi comemorada virtualmente...

Foram lives, shows, palestras e grupos de discussão online, o que pode ser um ponto positivo, dado o alcance que as manifestações tiveram.


Este ano, ao menos no Brasil, o formato deverá ser mantido, eis que ainda enfrentamos um momento muito crítico no enfrentamento ao Corona vírus.


Mas então, votando à pergunta central: Dia do Trabalho ou do Trabalhador?


A data foi estabelecida em Paris durante o Congresso Operário Socialista ocorrido em 1889, para homenagear os Mártires de Chicago.

Estes homenageados foram sindicalistas condenados nos Estados Unidos (alguns enforcados) por sua participação em uma greve nacional que começou em 1º de maio de 1886, lutando para que a lei de jornada trabalhista de oito horas fosse respeitada pelos empregadores (na época tratados como patrões).


Em 4 de maio o movimento grevista acabou se transformando na sangrenta Revolta do Haymarket, onde durante o protesto uma bomba explodiu, matou um policial e o conflito tomou proporções desastrosas.

Como resultado 38 operários foram mortos e 115 ficaram feridos.


A partir daí uma intensa perseguição a sindicalistas teve início, com uma importante participação da imprensa (que interpretou o ocorrido como uma conspiração anarquista) e que alcançou notoriedade internacional.

Dezenas de pessoas foram presas, 5 executadas, mas a identidade da pessoa que responsável pela bomba nunca foi esclarecida.


Portando, a data é uma homenagem aos trabalhadores que lutavam por condições melhores de trabalho na greve ocorrida em 1886, em Chicago, nos Estados Unidos, reivindicando jornada de 8 horas por dia.

Assim, o dia Primeiro de Maio entrou para a História como Dia Internacional dos Trabalhadores.


No Brasil o feriado de Primeiro de Maio foi instituido no governo de Artur Bernardes (presidente entre 1922 e 1926), com o Decreto nº 4.859, de 26 de setembro de 1924:


“E' considerado feriado nacional o dia 1 de maio, consagrado á confraternidade universal das classes operarias e á commemoração dos martyres do trabalho; revogadas as disposições em contrario” (texto original)


Então, se na origem foi o 1º de Maio tinha o objetivo de confraternização das classes operárias e à homenagem dos mártires do trabalho, não resta dúvida, o Dia é do Trabalhador.


É também verdade, que no Governo de Getúlio Vargas houve uma movimentação no sentido de tornar o feriado mais comemorativo, do que de cunho reivindicativo, e assim tem sido tratado ao longo dos anos.

De um movimento de lutas de classe, transformou-se numa festa, tendo ainda resquícios de movimento reivindicatório dentro de alguns os sindicatos que lutam para que essa tradição não se perca.


Não entendo que a data seja de comemoração.

Pouco temos para comemorar.


Devemos sim homenagear, não somente os mártires de Chicago, e muitos outros anônimos que lutaram por melhores condições de trabalho no passado.

Mas homenagear, respeitar e ao menos ouvir os argumentos daqueles que entre nós, ainda lutam por melhores condições de trabalho, e isto inclui os empresários, que ainda têm dificuldade de se enxergar como trabalhadores, pois todos somos.


Queres te aprofundar mais no tema? Abaixo seguem algumas sugestões de leitura!


Dárlen Prietsch Medeiros

Professora de Direito do Trabalho - FACCAT, pesquisadora, estudante, empregada e empresária.



Sugestões de leitura:

Dia do Trabalhador ou Dia do Trabalho? Como o Primeiro de Maio foi 'apropriado' por Getúlio Vargas:

https://www.bbc.com/portuguese/geral-52494236


Considerada uma data simbólica aos assalariados de vários países do mundo:

https://cpjur.com.br/dia-do-trabalhador/


Dia do Trabalhador – A verdadeira História: http://www.sintermut.com.br/noticias/dia-do-trabalhador-a-verdadeira-historia